Um jovem de Penafiel acaba de lançar um guia de profissões para ajudar os jovens, sobretudo os que frequentam o 9.º a 12.º ano, a definir o seu futuro, num período que muitas vezes é vivido com ansiedade. "O importante é gostar", é um dos principais conselhos deixados pelos 160 profissionais das mais diversas áreas que Rui Passos Rocha entrevistou. Há exemplos de um humorista, um futebolista, um escritor, uma engenheira, uma atleta, um cozinheiro, uma médica, um vinicultor, uma lojista, uma bióloga, um crítico, um cantor, um fotógrafo até um youtuber, um gamer ou um cientista de dados, entre muitos outros. Muitos anónimos, alguns bem conhecidos dos portugueses, como Rita Blanco, Ricardo Araújo Pereira, Patrícia Mamona, Francisco Louçã, Fátima Cardoso, Rodrigo Leão ou Vhils.

O objetivo é dar a conhecer aos jovens que profissões existem, que formação deve alguém ter para exercê-las e que competências lhe serão mais úteis.

O livro é vendido online (www.guiadeprofissoes.pt), sendo que 50% das receitas revertem para as Aldeias de Crianças SOS Portugal. É apresentado, este domingo, pelas 15h00, no Porto, no Mira Fórum.

Rui Passos Rocha teve um percurso tudo menos linear. Quando jovem quis ser professor do ensino primário, como os pais, ou professor de história, inglês ou educação física, conta na introdução do livro. Mas acabou por decidir estudar Comunicação, na Universidade do Minho, depois de uma breve experiência de escrita para um jornal local. Colaborou com um jornal regional e dirigiu um jornal universitário e decidiu que não queria seguir a carreira de jornalista. Foi então à procura de aprender mais numa área que o atraía, a política, e fez um mestrado na Universidade de Lisboa e mais uma formação na área de Visualização de Informação. Nessa altura fez alguma investigação académica e muita comunicação de cultura e ciência. E foi aí que se fixou. "O meu trabalho em comunicação de ciências e cultura vai ao encontro da inclinação que sempre senti para o ensino. Tenho um percurso não linear, e isso é algo que não imaginei em jovem, mas que se revelou natural e até vantajoso. É possível que no futuro me dedique a outras áreas. Afinal, nenhuma decisão tem de ser definitiva, muito menos definidora. Acima de tudo, importa ter presente aquilo de que se gosta", defende o jovem de 33 anos, natural de Galegos a residir em Vila Franca de Xira. Agora é editor de conteúdos digitais na Fundação Francisco Manuel dos Santos e gestor de publicidade online para várias empresas e instituições, entre as quais o ISCTE e a Truly Nolen.

Tendo noção de que os jovens têm de tomar decisões difíceis quanto a estudo e a trabalho no 9.º ano ou no 12.º ano, Rui Passos Rocha teve a ideia de reunir testemunhos de pessoas que falem de como é exercer as suas profissões.
 
Entrevistou 160 profissionais (80 homens e 80 mulheres) com percursos muito diversificados. Alguns que estudaram a fundo uma esfera do saber e dedicaram a sua carreira a essa mesma área e outros que tiveram uma formação mais diversificada e/ou empregos em mais de um sector, como é o seu caso.
 
"Quis fazer um livro para jovens que lhes mostre as profissões que existem e lhes desse pistas. Quis mostrar que toda a gente pode exercer qualquer profissão - tenho o testemunho de uma pescadora -, que qualquer uma é válida e também que os percursos de quem exerce uma profissão podem ser múltiplos. Há pessoas que têm percursos lineares e outros que andam aos esses. Não faz mal não saber o que se quer aos 18 anos", refere Rui Passos Rocha.
Foi assim que nasceu "O importante é gostar: Guia de Profissões para Jovens", uma edição de autor que está a ser vendida apenas online e com parte das verbas a reverterem para uma causa solidária".
 
O importante é gostar é o conselho deixado por vários profissionais no livro. Independentemente de sabermos o que queremos desde crianças ou de andarmos às voltas", resume. "O mérito de cada profissão não se mede em euros e o funcionamento regular da sociedade depende de pessoas que desempenhem todas as funções. Também por esse motivo, é importante que acima de tudo os jovens procurem o caminho profissional que os realize, seja ele qual for. E passe ele por uma ou por várias profissões. Daí o título que escolhi", acrescenta o penafidelense.
 
Entre os testemunhos há muitos anónimos, mas também figuras bem conhecidas e que se destacam na sua área profissional como Rita Blanco, Ricardo Araújo Pereira, Patrícia Mamona, Francisco Louçã, Fátima Cardoso, Rodrigo Leão, Pedro Mexia, J. Rentes de Carvalho, Maria José Morgado ou Vilhs. Cada profissão ocupa uma página do livro. Os entrevistados partilham informações sobre a profissão, as características do trabalho e o que se deve fazer para ser bom a exercê-la.
 
No final há um questionário, para que os leitores possam melhor encaminhar-se para uma área ou um conjunto de áreas profissionais.

Notícia: VerdadeiroOlhar.pt